Bijagós

explora, natureza indomada

Arquipélago de Bijagós (Guiné-Bissau)

Ao ritmo das marés, entramos no território dos Bijagós, um arquipélago de 88 ilhas que formam um dos mais ricos reservatórios da biodiversidade mundial. O povo desta região da Guiné-Bissau dá à zona o nome e o caráter. Aqui mantêm rituais, tradições e lendas, partilhados com orgulho e generosidade

· Bissau
· Mercado do Bandim
· Bolama
· Bulaque
· Carache
· Eguba
· Ganogo
· Menegue
· Orangozinho
· Unhocomo
· Uracane
· Unhocomozinho
· Galinhas
· Orango Grande
· Poilão
· Canhabaque
· Rubane
· Uno

Entre praias desertas, entramos pelo mar de águas claras sem querer sair. Aproveitamos os fins de tarde com os petiscos confecionados a bordo deste cruzeiro, que nos leva por entre tabancas e mangais, a viver a grande aventura da natureza.

Viajamos a bordo de um iate, o transporte ideal nesta região da África atlântica: uma embarcação, com capacidade máxima de 8 pessoas, onde somos acompanhados pelo nosso confort manager, com propostas diferentes para cada dia que surgem ao sabor da vontade e do colorido dos dias.

Por entre ilhas desertas e praias paradisíacas, onde o azul do mar rivaliza com a luz do sul. Pomos os pés na lama para conhecer um mosaico de diferentes paisagens, um novo mangal, uma savana pantanosa ou um denso bosque por onde nos embrenhamos.

Acordamos para abrir as janelas a uma nova paisagem todos os dias: uma nova praia ou uma reserva natural. Os passeios não têm rotas fixas, levando os viajantes através de percursos próprios, definidas num equilíbrio entre os interesses dos viajantes e os “mandos” da natureza.

Partilhamos com os Bijagós, o povo que habita o território, a magia e intensidade das suas tradições e lendas. Usufruímos do colorido próprio e contrastante da sua sociedade, onde a natureza sagrada da paisagem transfigura as árvores, a água do antigo delta, os próprios animais e pessoas em elementos mágicos que habitam o território da imaginação. Uma cultura tribal que vai aguçar a curiosidade dos viajantes.

Estas ilhas são uma referência mundial de biodiversidade, além de estarem nas rotas de nidificação e migração de milhares de espécies de aves. Desde a Ilha de Orando ao Poilão, onde podemos observar a desova das tartarugas e, dependendo da altura do ano e da sorte, a última comunidade de hipopótamos marinhos no Mundo.  Os Bijagós são uma experiência envolvente de natureza selvagem e exuberante.

1

PRIMEIRO DIA

Passagem por Bissau

Bissau é uma cidade vibrante e alegre, de pessoas muito acessíveis e prestáveis, com passagens incontornáveis como o mercado do Bandim com a sua vida fervilhante!

Os viajantes que se queiram juntar a nós nesta viagem de aventura encontram-se connosco em Bissau, antes de embarcarem no Iate. Sugerimos que nos contactem para podermos dar-lhes todo o apoio necessário para a aquisição das viagens e do seguro até este destino.

Asseguramos o transfer do aeroporto até à cidade aproveitando a ocasião para viver Bissau, num breve passeio  para conhecer as suas gentes e sentir o seu ambiente fervilhante.

Em Bissau encontramos a alegria de pessoas calorosas e o frenesim inesquecível do mercado do Bandim, entre outros espaços incontornáveis.

2-7

SEGUNDO ao sétimo dia

Cruzeiro pelas Ilhas

Os passeios serão sempre variados, ao sabor e ritmo das marés e dos interesses de quem viaja. Usufruímos da vasta experiência e conhecimento territorial do nosso capitão e sua tripulação na seleção dos destinos mais interessantes, os lugares mais remotos e as ilhas mais selvagens. Nas tabancas (aldeias) locais onde iremos passear quase não há economia monetária, e poderemos usufruir de uma sociedade tribal generosa ao partilhar as suas tradições.

Nesta viagem encontramos ilhas desertas todos os dias, paisagens selvagens e intocadas, com passagens obrigatórias em algumas ilhas tais como Orangozinho, João Vieira, Canhabaque e Poilão, conjunto que compõe o Parque Nacional Marinho. Na primeira metade da época (janeiro a junho) é possível fazer também uma saída em lancha para visitar a ilha de Orango Grande, onde vive uma raríssima comunidade de hipopótamos marinhos.

As refeições, preparadas pelo Chef do barco, serão servidas a bordo (ao jantar), e ao almoço em clareiras, nos bosques, ou montadas sob as palmeiras de uma praia que estamos a visitar.

A equipa de pescadores que acompanham a viagem irão fornecer uma variedade de peixes, apanhados no próprio dia, que podemos saborear.

Ao fim do dia apreciamos o pôr-do-sol no deck do Iate, acompanhados de vinhos e dos pratos acabados de cozinhar. Deixamos o nosso olhar navegar, sem precisão e destino, sob as águas calmas do Atlântico.

1300

Custo por pessoa em cabine dupla

30% no momento da reserva.
70% a um mês do início do cruzeiro.


Suplementos:
 ocupação individual de uma cabine dupla — 500€Outros suplementos tais como pesca, lanchas rápidas e material de pesca, bem como visitas a algumas das ilhas do parque natural que estão sujeitas a pagamento são alvo de consulta prévia.  
Os preços incluem: a receção no aeroporto, os transfers de/para o aeroporto, seguros, todas as refeições com bebidas incluídas, os passeios e todas as atividades durante os 6 dias no arquipélago.

Percurso para, no máximo, 8 pessoas, com diferentes guias especializados. O programa pode sofrer alterações por razões alheias à organização.

Todas as fotos deste programa são da autoria de jorge Horta. Exceção da foto de entrada que é da autoria de António Freitas

Informação

Olá. Estamos felizes com o teu contacto. Clube ADU é um projeto participativo, para quem ama a viagem, feito por pessoas, para pessoas. Queremos saber de ti, queremos que nos digas o que pensas, o que sentes, as tuas dúvidas e sugestões. Seja o que for, faz-nos chegar a tua mensagem através deste primeiro contacto: um canal de comunicação, que te iniciará neste novo projeto. Sempre enquanto for do teu interesse. 

  • Concordo em ceder os meus dados pessoais exclusivamente ao Clube ADU.
    Não fazemos spam, nem distribuímos a informação a terceiros.